domingo, 4 de dezembro de 2016

À festa do aniversário de Noel Rosa, 10 de dezembro, em Vila Isabel, assim falou Jacaré


Tragam flores na lapela ou nos cabelos

Sábado 10 de dezemrbo

17 horas : lavagem da estátua de Noel na Vinte e Oito com São Francisco Xavier

19 horas : samba choro a céu aberto na Abaeté com Torres Homem



 Para começar os preparativos, a ordem do general da banda é cantar o hino, assim falou nossa Rainha.


Oiçam na voz do nosso Luciano Macedo e cantem juntos ou separados:

Vem, vem ver o nosso bloco na esquina acontecer

A cerveja tá gelada, abre uma e é p'ra já

E que se exploda o Bar do Costa

Em rio de piranha, jacaré nada de costas.



Logo a seguir, deu-se o encontro de Noel Rosa com Olavo Bilac num samba p'ra ninguém botar defeito.

Ora direis ouvir estrelas
Estrela como Vila Isabel
Com Lamartine, Ary Barroso como tema
Os convidados desse ano por Noel

No limiar do infinto
O Jacaré encontra seu destino


 Noel Rosa: o que se pronuncia com voz macia já é brasileiro.
Para o parnasiano Olavo Bilac, o português era inculto e belo

Na Língua nosso de cada dia, Milena Buarque escreve:

- A força renovadora da língua já foi lembrada pelo poeta Noel Rosa (1910-1937). Na canção “Não Tem Tradução”, o compositor afirma que tudo aquilo que se pronuncia com ‘voz macia’ é ‘brasileiro, já passou de português’.

E João Nogueira assim cantou: 

O cinema falado é o grande culpado da transformação
Dessa gente que sente que um barracão prende mais que o xadrez
Lá no morro, seu eu fizer uma falseta
A Risoleta desiste logo do francês e do Inglês
A gíria que o nosso morro criou




Bem cedo a cidade aceitou e usou
Mais tarde o malandro deixou de sambar, dando pinote
Na gafieira dançar o Fox-Trote
Essa gente hoje em dia que tem a mania da exibição
Não entende que o samba não tem tradução no idioma francês
Tudo aquilo que o malandro pronuncia
Com voz macia é brasileiro, já passou de português
Amor lá no morro é amor pra chuchu
As rimas do samba não são I love you
E esse negócio de alô, alô boy e alô Johnny
Só pode ser conversa de telefone..


Com essa obra prima de sensibilidade e alegria, feita pela jacarense Thais, Jacaré convoca:



Simbora p'ra festa do Poeta da Vila

ouvindo Paulinho da Viola, Manacéia, Monarco...

segunda-feira, 16 de maio de 2016

Cauby Peixoto, admirado pelo Jacaré em 2013 e 2012, viajou ao encontro de estrelas, não conceicionamente, como foi o golpe na democracia


Em 2013, Jacaré assim cantou com Cauby :

O sol e Scheilas também se levantam com odres de champagne, assim falaram Jacaré e Cauby

 A vê-las desoladas pelo malentedido Cauby Peixoto fê-las acreditar serem duas pastorinhas
A estrela d'alva no céu desponta
E a lua anda tonta com tamanho esplendor
E as pastorinhas pra consolo da lua
Vão cantando na rua lindos versos de amor

Linda pastora morena da cor de madalena
Tu não tens pena de mim
Que vivo tonto com o teu olhar
Linda criança tu não me sais da lembrança
Meu coração não se cansa
De sempre sempre te amar 

Em 2012, Jacaré foi assim :

Jacaré, louco, dança o lundu com Cauby à espera do padroeiro

 Eu sei que vocês vão dizer
Que é tudo mentira, que não pode ser
Que depois de tudo o que ele me fez
Eu jamais deveria aceitá-lo outra vez
Eu sei que assim procedendo
Me exponho ao desprezo de todos vocês
Lamento, mas fiquem sabendo
Que ele voltou e comigo ficou
Ficou pra matar a saudade
A tremenda saudade que não me deixou
Que não me deu sossego um momento sequer
Desde o dia em que ele me abandonou
Ficou pra impedir que a loucura
Fizesse de mim um molambo qualquer
Ficou desta vez para sempre
Se Deus quiser... 

 E de autoria de Chico Buarque, grande figura que luta contra o golpe de temer em maio de 2016, Jacaré com Cauby canta os Bastidores 

Chorei, chorei, até ficar com dó de mim
E me tranquei no camarim
Tomei um calmante
Um excitante e um bocado de gim

Amaldiçoei o dia em que te conheci
Com muitos brilhos me vesti
Depois me pintei, me pintei, me pintei, me pintei

Cantei, cantei
Como é cruel cantar assim
E num instante de ilusão,
Te vi pelo salão
A caçoar de mim

Não me troquei,
Voltei correndo ao nosso lar,
Voltei pra me certificar
Que tu nunca mais vais voltar, vais voltar, vais voltar

Cantei, cantei
Nem sei como eu cantava assim
Só sei que todo cabaré
Me aplaudiu de pé quando cheguei ao fim.

Mas não bisei,
Voltei correndo ao nosso lar,
Voltei pra me certificar
Que tu nunca mais vais voltar, vais voltar, vais voltar

Cantei, cantei
Jamais cantei tão lindo assim
E os homens lá pedindo bis
Bebâdos e febris à se rasgar por mim

Chorei, chorei até ficar com dó de mim.

Cantemos mais aplaudindo Cauby de pé e tomando um pouco de gim.

 Ao fim, o canto contra o golpe Conceição

Conceição
Eu me lembro muito bem
Vivia no morro a sonhar
Com coisas que o morro não tem

Foi então
Que lá em cima apareceu
Alguém que lhe disse a sorrir
Que, descendo à cidade, ela iria subir

Se subiu
Ninguém sabe, ninguém viu
Pois hoje o seu nome mudou
E estranhos caminhos pisou

Só eu sei
Que tentando a subida desceu
E agora daria um milhão
Para ser outra vez Conceição

the end 

 

 

 

quinta-feira, 10 de março de 2016

Festa do Jacaré para o Dia Internacional da Mulher - 12 de março - sábado - 19 horas


Eu sou eu, Jacaré é bicho d´água convida

Sábado - 12 de março de 19 às 23 horas

Festa em homenagem ao Dia Internacional da Mulher

Esquina de Visconde de Abaeté com Torres Homem

Vestir lilás é o traje a rigor, passeio ou esporte


 Russia - 8 de março de 1917

Por que 8 de março é o dia internacional da mulher, perguntaram ao Jacaré.

Jacaré, livre que é foi ao wikpedia e de lá trouxe que a data vem da luta das mulheres russas contra o czarimos marcada por uma grande manifestação em 8 de março de 1917.

As Flores da Primavera. Arthur Hacker - 1858-1919.

Jacaré então foi à Ucrânia e com Claude Leleouch vem cantar КАТЮША

Расцветали яблони и груши,
Floresciam macieiras e pereiras

Поплыли туманы над рекой.
Flutuava névoa sobre o rio.

Выходила на берег Катюша,
Katyusha estava andando na margem,


 Jacaré soube também lá na tal wickpedia que acabou com a enciclopédia britânica e com os chatíssimos vendedores de enciclopédia, que Hipátia, astrônoma romano-egípcia, coincidentemente foi assassinada no dia 8 de março de 415.

Muita luta tiveram e têm as mulheres pelos direitos universais e, dentro do Jacaré, a mulherada manda.

Não esqueçai, portanto : sábado será dia de festa a céu aberto.



E vamos fechando essa edição com a Guerreira Lecy Brandão em Tia Ciata 

que compôs pelo telefone cantada peo Beth Carvalho e Vó Maria

 O chefe da folia
Pelo telefone manda me avisar
Que com alegria
Não se questione para se brincar

Ai, ai, ai
É deixar mágoas pra trás, ó rapaz
Ai, ai, ai
Fica triste se és capaz e verás

Tomara que tu apanhe
Pra não tornar fazer isso
Tirar amores dos outros
Depois fazer teu feitiço

Ai, se a rolinha, sinhô, sinhô
Se embaraçou, sinhô, sinhô
É que a avezinha, sinhô, sinhô
Nunca sambou, sinhô, sinhô
Porque este samba, sinhô, sinhô
De arrepiar, sinhô, sinhô
Põe perna bamba, sinhô, sinhô
Mas faz gozar, sinhô, sinhô

O peru me disse
Se o morcego visse
Não fazer tolice
Que eu então saísse
Dessa esquisitice
De disse-não-disse

Ah! ah! ah!
Aí está o canto ideal, triunfal
Ai, ai, ai
Viva o nosso carnaval sem rival

Se quem tira o amor dos outros
Por deus fosse castigado
O mundo estava vazio
E o inferno habitado

Queres ou não, sinhô, sinhô
Vir pro cordão, sinhô, sinhô
É ser folião, sinhô, sinhô
De coração, sinhô, sinhô
Porque este samba, sinhô, sinhô
De arrepiar, sinhô, sinhô
Põe perna bamba, sinhô, sinhô
Mas faz gozar, sinhô, sinhô

Quem for bom de gosto
Mostre-se disposto
Não procure encosto
Tenha o riso posto
Faça alegre o rosto
Nada de desgosto

Ai, ai, ai
Dança o samba
Com calor, meu amor
Ai, ai, ai
Pois quem dança
Não tem dor nem calor
Add a playlist
Cifra
Imprimir
Corrigir







quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

Jacaré convida os amigos para colaborarem com algum para os Bailes de 5 fevereiro zodiacal


com duas opções não mutuamente exclusivas:

a) Doação de valor "v" definido pelo doador;

b) Compra da rifa pela internet de uma garrafa de whisky  do bom e uma camiseta da Escola Unidos de Vila Isabel, no valor de:

R$ 10,00 cada rifa
 
O comprador deposita o valor e avisa por email ou Zapzap para a Tesoureira Sheila, que providenciará um número e avisará ao comprador:

                      Sheila Calmon

                      Banco Itaú - Agência: 9292 // Conta 15744-4.

                      CPF: 611714687-68 
                      sheilacalmonn@gmail.com

 Simbora contribuir, assim falou Jacaré !



O quadro acima, elaborado pela jacarense Thais, é a alegria que mora no Jacaré nos seus 12 anos de existência e esse ano o carnaval será assim:

Jacaré convida para os bailes de carnaval 

Sexta Feira - 5 de fevereiro
Infantil : 17 horas
Adulto : 20 horas

Esquina de Visconde de Abaeté com Torres Homem
Iluminação a cargo da Dindinha Lua
Traje : fantasia, confete, serpentina e alegria


Das milhares de mensagens chegadas à editoria do Jacaré muitas perguntaram:

-- Porque Dindinha Lua ?

Vila Isabel, 1973, responde que foi Zodíaco no Samba:

Dindinha lua, dindinha lua
Desça do céu e vem sambar na rua

Abriu-se a cortina do universo
Pra Vila cantar em verso
Uma história astral
Uma astrologia criada
Na primeira madrugada
A sorte foi lançada
Daí pra frente não há futuro nem presente
Que o destino esteja ausente

Cheguei a ver na bola de cristal
Que os astros vêm brincar o carnaval



Vamos ficando hoje por aqui, cantando com Maria Betânia mais uma Madrinha Lua feita em homenagem à Rosinha de Valença:

Minha madrinha lua
Traz um amor pra mim
Bem depressinha agora
Oh madrinha
Traz um amor pra mim

Minha madrinha lua
Você também não namora
Anda assim como eu
Oh madrinha
Ando sozinha agora 
Até amanhã


quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

Baile de carnaval infantil e adulto sob a iluminação da Dindinha Lua - sexta - 5 de fevereiro


Confirmadíssimo

Jacaré convida para os bailes de carnaval 

Sexta Feira - 5 de fevereiro

Infantil : 17 horas

Adulto : 20 horas

Esquina de Visconde de Abaeté com Torres Homem

Iluminação a cargo da Dindinha Lua

Traje : fantasia, confete, serpentina e alegria

 
Tudo se passou como se o Carnaval não mais aconteceria no Rio de Janeiro pois Jacaré andava meio borocoxô e não anunciava seus Bailes Carnavalescos organizados desde sempre por Lamartine Babo, Noel Rosa e Chiquinha Gonzaga.

Mas da dificuldade renasceu a vontade de botar o Bloco na rua.

Logo, logo, Beth Carvalho disse:  o som eu levo na garganta, do Abre Alas à Cidade Maravilhosa:


                                                      Ó abre alas
                                                      Que eu quero passar
                                                      Ó abre alas
                                                     Que eu quero passar
                                                     Eu sou Lira
                                                    Não posso negar
                                                   Rosa de Ouro
                                                 É quem vai ganhar...

 Bete Carvalho e a Mangueira


Juntaram-se então todos na esquina do Costa numa Ágora com participação das turmas da purrinha, da canastra, dos músicos do local, do Jacaré, da Banda de Vila Isabel, todos acomodados dentro da Banca de Jornal do Vitor e a decisão foi:

- Vai ter Bloco !

O amigo Beça botou os papéis p´ra correr, Pipoca matou no peito e rolou p´ra Thais que, de trivela, passou para Chico Rocha e, não tenham dúvidas, vai ser gol de placa.

Para tal, Jacaré convidou Leônidas da Selva para fazer gol plantando bananeira:

 Leônidas da Selva

" Foi num jogo do América na Turquia. Quando a bola estava caindo na área, Leônidas tinha passado um pouco da jogada mas não pensou duas vezes: como que plantou uma bananeira e, com isso, alcançou a bola com o calcanhar e ela foi parar na rede, assim falou Ivan Soter no livro "Quando a bola era redonda".

Lamartine lembrou:
-- Sou América, bota meu hino p´ra tocar !

E assim se fez, oiçam: Hei de torcer, torcer, torcer...
                                    A cor do pavilhão é a cor do nosso coração




Como falamos em Bete, falou-se também do Cacique de Ramos, que falou que o Brás é o Tesoureiro e para festa será necessário gastar um dinheirinho Firme e Forte


Aproveita hoje porque a vida é uma só
O amanhã quem sabe se é melhor ou se é pior
Deixa correr frouxo que esquentar não é legal
Se o Brás é tesoureiro a gente acerta no final
Pois Deus é brasileiro e a vida é um grande carnaval

Dança, canta
Pula, sacode, levanta a poeira do chão
Deita, rola
Vai firme e forte na bola com disposição
Brinca, samba
Pra quem tem sangue de bamba tudo é natural

Se o Brás é tesoureiro a gente acerta no final
Pois Deus é brasileiro e a vida é um grande carnaval




A solução para arrecadar algum para festa está na contribuição dos amigos do Bloco da seguinte forma:

a) Doação de valor "v" definido pelo doador;

b) Compra da rifa pela internet de uma garrafa de whisky  do bom e uma camiseta da Escola Unidos de Vila Isabel, no valor de:

R$ 10,00 cada rifa
O comprador deposita o valor e avisa por email ou Zapzap para a Tesoureira Sheila, que providenciará um número e avisará ao comprador:
                      Sheila Calmon
                      Banco Itaú - Agência: 9292 // Conta 15744-4.
                      CPF: 611714687-68 

 Simbora contribuir, assim falou Jacaré



segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

Noel vestiu rosa, comemorou aniversário, derrubou o golpe e uma árvore para fechar a rua e foi parte do Acordo do Clima na ONU - Êta festa

Noel vestiu-se de rosa abraçado pelas jacarenses Valéria, Sheila - a aniversariante, Sônia Pardal e Rose - rainha do Jacaré.


Depois, ou antes, ou durante, com Sergio Rosa uma cerveja derrubou, protegidos pelo estandarte do Bloco.


Noel avisou ao Jacaré que choveria na festa mas as gotas seriam lágrimas de emoção de São Pedro e que ele daria uma força na esquina à noite, então cantamos assim : O orvalho vem caindo


O orvalho vem caindo, vai molhar o meu chapéu
e também vão sumindo, as estrelas lá do céu
Tenho passado tão mal
A minha cama é uma folha de jornal

A minha sopa não tem osso e nem tem sal
Se um dia passo bem, dois e três passo mal
(Isso é muito natural!)


A turma deu uma arrumada no palco com a costumeira varrida bailada por João Guerreiro pois quem ama cuida.




Então da vassoura fez-se o grupo e do grupo fez-se a foto num canto em homenagem a Mariana e em protesto à Vale, que já foi do Rio Doce e tirou-o de seu nome pois planejava destruí-lo com lama de ferro mas o Calix Bento recuperará o rio

Oh, Deus salve o oratório
Onde Deus fez a morada, oiá, meu Deus
Onde Deus fez a morada, oiá

Onde mora o cálice bento
E a hóstia consagrada, oiá, meu Deus
E a hóstia consagrada, oiá

De Jessé nasceu a vara
Da vara nasceu a flor, oiá, meu Deus
Da vara nasceu a flor, oiá

E da flor nasceu Maria
De Maria o Salvador, oiá, meu Deus





Com água de cheiro vinda das escadas do Bonfim a lavagem da estátua foi celebrada por Sônia, Ric, Jario e Lucinha.

Isto posto, nossa rainha do Bloco, Rose balançou com o rebolado ao som de samba da melhor qualidade, gravado pelo Diretor de cinema Pardal, melhor que Buñel, nesse endereço :





O sol da Vila é triste

Samba não assiste

Porque a gente implora:

"Sol, pelo amor de Deus,

não vem agora

que as morenas

vão logo embora


Eu sei tudo o que faço
sei por onde passo

paixao nao me aniquila

Mas, tenho que dizer,

modéstia à parte,

meus senhores,

Eu sou da Vila!




Tudo sob a batuta do maestro Jairo com a garotada na sinfônica.


Durante a cerimônia, um pavão misterioso enviado por Luciano, cantor maior do Jacaré, se chegou e anunciou o acordo sobre o Clima na ONU com brilhante participação da delegação brasileira...




e assim cantou com Ednardo:


Pavão misterioso

Pássaro formoso

Tudo é mistério

Nesse teu voar


Ai se eu corresse assim

Tantos céus assim

Muita história

Eu tinha prá contar...


Pavão misterioso

Nessa cauda

Aberta em leque

Me guarda moleque

De eterno brincar






Sônia Balão, no comando de camisa vermelha, avisou :

- Vamos para a esquina que o samba vai começar lá





Então, como dizem os paulistas, nós si chegamos na esquina e Pecê Ribeiro contou uma estória que ele cantou com Noel Rosa pelas ruas da Vila pois do meu samba tu és o estribilho.


Até amanhã se Deus quiser

Se não chover eu volto pra te ver

Oh, mulher!

De ti gosto mais que outra qualquer

Não vou por gosto

O destino é quem quer


Adeus é pra quem deixa a vida

É sempre na certa em que eu jogo

Três palavras vou gritar por despedida:

"Até amanhã! Até já! Até logo!"


O mundo é um samba em que eu danço

Sem nunca sair do meu trilho

Vou cantando o teu nome sem descanso

Pois do meu samba tu és o estribilho




Marcelinho recitou poesia enquanto a chuva caía, viva a última flor do Lácio, de Bilac já homenageado pelo Jacaré :


Última flor do Lácio, inculta e bela,

És, a um tempo, esplendor e sepultura:

Ouro nativo, que na ganga impura

A bruta mina entre os cascalhos vela...


Amo o teu viço agreste e o teu aroma

De virgens selvas e de oceano largo!

Amo-te, ó rude e doloroso idioma,




Luciano comandou a banda em muitas deliciosas músicas incluindo o hino do Bloco.

E que se foda o bar do Costa
Em rio de piranha
Jacaré nada de costas

A cerveja está gelada
Abre uma e é pra já

Ora direis estelas, estrelas como Vila Isabel... no limiar do infinito ... Jacaré encontra seu destino no tabuleiro da baiana, aquarela do Brasil o teu cabelo não nega




Simone, nossa jacarense de coração, ciceroneada pela Rachel, observadas por Luciene após o canto, vaticinaram: FORA CUNHA ! Levando um grande chute.


A colombina entrou num butiquim

Bebeu, bebeu, saiu assim, assim

Dizendo: pierrô cacete
Vai tomar sorvete com o arlequim


Um grande amor tem sempre um triste fim

Com o pierrô aconteceu assim

Levando esse grande chute

Foi tomar vermute com amendoim






É seu Cunha, o Senhor que quer reduzir a liberdade das mulheres, saiba que no Jacaré quem manda é a mulher como mostrado pela nossa ritmista Thais, com Heitor dos Prazeres e Gilberto Alves:

Não se deve amar sem ser amado

É melhor morrer crucificado

Deus nos livre das mulheres que hoje em dia

Desprezam o homem só por causa da orgia

Gosto que me enrosco de ouvir dizer

Que a parte mais fraca é a mulher



Mas o homem, com toda a fortaleza

Desce da nobreza e faz o que ela quer


Daí a chuva caiu forte, forte muito forte e a contradição dialética mostrou-se amiga do Jacaré pois:

A Prefeitura não autorizou fechar a rua
Se a rua tivesse sido fechada, o som ficaria debaixo da barraca
Com a chuva forte o som teria de parar
Como o som ficou no calçadão do Costa, deu nem te ligo pra chuva




Para melhorar mais, Noel derrubou com a ajuda da chuva uma galhada de árvore e fechou a rua com som na calçada e baile na rua.


Daí em diante a festa rolou assim ou mais ou menos assim em quase fotos:
















 E, dando os trâmites por findos, Jacaré caiu no absinto da fada verde assim cantando:
Dizem que a mulher é a parte fraca
Nisto é que eu não posso acreditar
Entre beijos e abraços e carinhos
O homem não tendo é bem capaz de roubar

sábado, 12 de dezembro de 2015

É hoje, festa de aniversário de Noel Rosa e da jacarense Sheila Calmon, sob o céu de estrelas e luas




Sábado
12 de dezembro


de 16 às 17 horas - lavagem da estátua de Noel Rosa 

28 de setembro com São Chico Xavier

de 17:00 às 22:00 samba sob o céu de estrelas e luas
Abaeté com Torres Homem - Vila Isabel
 Sônia Pardal, Thais e Lourdinha
elas bebem e dirigem
quem diz são os dirigidos companheiros

Mulheres guerreiras do Jacaré garantirão a festa, a mais linda das lindas que na Terra aconteceu, dentro das Lendas e Mistérios da Amazônia como cantou a Portela.
Dizem que os astros se amaram
E não puderam se casar

Quando chegava a primavera
A estação das flores
Havia uma festa de amores
Era tradição das Amazonas
Mulheres guerreiras
Aquele ambiente de alegria
Só terminava ao raiar do dia

Rose, rainha do Jacaré

A lua apaixonada chorou tanto
Que do seu pranto nasceu o rio e o mar

Sheila, qual é ?
Uma dica : Mocidade Independente




E de presente para a aniversariante, a guerreira Elza Soares canta a Festa do Divino como divina será a festa hoje no Jacaré 


Um badalar do sino anuncia
A coroação do menino
Batuqueiro, violeiro e cantador
Alegram o cortejo do pequeno imperador
Leiloeiro faz graça com a prenda na mão
A banda toca com animação
Oh, que beleza
"A Festa do Divino"
Cores, músicas e danças
E fogos explodindo

Roda gira, gira roda
Roda grande vai queimar
Para a glória do Divino
Vamos todos festejar



A alvorada já tocou no Jacaré e as mulheres em forma com fuzil e embornal anunciam que estão prontas para a festa


Mais uma prova que é tempo das mulheres mandarem
Ouve-se  o comando;
 
- Ordinário, que quer mudar a Lei para controlar nosso corpo, marche acelerado e saia da frente senão passaremos por cima.


Dizem que a mulher
É o sexo frágil
Mas que mentira
Absurda!
Eu que faço parte
Da rotina de uma delas
Sei que a força
Está com elas...Mulher! Mulher!
  
Na escola
Em que você foi
Ensinada
Jamais tirei um 10
Sou forte
Mas não chego
Aos seus pés

Pois na estátua às 16 e na esquina do Jacaré às 17 horas. Jacaré cantará Noel

Mu-mu-mulher, em mim fi-fizeste um estrago
Eu de nervoso estou-tou fi-ficando gago
Não po-posso com a cru-crueldade da saudade
Que que mal-maldade, vi-vivo sem afago

Tem tem pe-pena deste mo-moribundo
Que que já virou va-va-va-va-ga-gabundo
Só só só só por ter so-so-sofri-frido
Tu tu tu tu tu tu tu tu
Tu tens um co-coração fi-fi-fingido



Mu-mu-mulher, em mim fi-fizeste um estrago
Eu de nervoso estou-tou fi-ficando gago
Não po-posso com a cru-crueldade da saudade
Que que mal-maldade, vi-vivo sem afago

Teu teu co-coração me entregaste
De-de-pois-pois de mim tu to-toma-maste
Tu-tua falsi-si-sidade é pro-profunda
Tu tu tu tu tu tu tu tu
Tu vais fi-fi-ficar corcunda!

E no fim da festa, como ninguém é de ferro, iremos ao Jack Deniel´s